BRASÍLIA

A internet 5G está chegando, mas ainda não nos conectamos ao 4G

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por Felipe Byrro, co-fundador do Melhor Plano

 

Nos últimos meses, não se falou de outro assunto no setor de telecomunicações que não fosse a chegada do 5G ao nosso país. Isso porque, agora, observamos o Brasil dar os primeiros passos rumo à sua implantação — já que a Anatel acaba de finalizar as propostas do leilão da tecnologia, o chamado 5G DSS vem sendo testado em algumas regiões e as declarações do ministro da Ciência adiantam: o projeto piloto deve acontecer entre o fim de 2021 e o início de 2022. Mas, afinal, levando em conta a nossa experiência com a internet 4G, será que estamos prontos para a chegada do 5G? O tema é complexo, mas alguns dados parecem nos ajudar a esclarecê-lo.

 

Nessas horas, vale pensarmos em como a relação dos brasileiros com a quarta geração de internet é algo que ainda engatinha. Aliás, um relatório recente da empresa de análise de rede móvel OpenSignal revelou que, mesmo com o 4G disponível para 88,6% da população, uma parcela significativa dos cidadãos ainda depende das redes legadas, tornando difícil para as operadoras nacionais implantarem tecnologias mais novas e eficientes, como o 5G. Para se ter uma ideia, boa parte dos brasileiros sequer já se conectaram ao 4G, disponível há mais de dez anos por aqui.

 

Segundo o estudo, publicado no final de 2020, o público que não acessa o 4G se divide em três tipos de pessoas. 86,6% até possuem aparelhos compatíveis com o 4G, mas permanecem com planos de celular 3G porque não atualizaram para uma assinatura 4G ou desativaram conexões 4G em seus telefones. Já 7,2% dos usuários costumam passar mais tempo em locais sem cobertura 4G por parte de suas operadoras. Por sua vez, 5,9% realmente não contam com um smartphone que aceite conexões do tipo. Qual será a relação desses usuários com a nova tecnologia? Como líder de um site comparador de serviços de telefonia e internet, tenho dúvidas se sua adesão virá tão rápido quanto esperamos.

 

Importante destacar que, atualmente, a dificuldade de expansão da internet móvel de quarta geração também aponta para um desafio à chegada do 5G. Isso porque, como indicou a Anatel no último ano, somente 11,1% do nosso território recebe cobertura 4G, que não chega ao interior do país. Mesmo as conexões 3G se restringem a 13,12% da área total do Brasil, o que o próprio órgão reconhece como um problema. Lembrando que o mesmo fenômeno também se estende à internet banda larga. Poderemos falar na digitalização nacional quando ainda há locais sem uma boa infraestrutura de telecom? Em outras palavras, conseguirá o 5G atenuar essa diferença?

 

Hoje, estima-se que a quinta geração de internet móvel esteja presente em mais de 34 países. Por aqui, no entanto, ainda há um longo processo pela frente, que se iniciará com o leilão da Anatel, previsto para o primeiro semestre deste ano. Não dá para negar: são muitas as dúvidas em relação ao que vem por aí. Enquanto aguardamos, resta admitir que teremos muitos desafios, mas seguimos torcendo para que a população usufrua dessa tecnologia melhor para todos.

COMENTE ABAIXO

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS